Rodrigo Chenta & Ivan Barasnevicius lançam CD

Rodrigo Chenta & Ivan Barasnevicius Duo acaba de lançar o CD Novos Caminhos. Os dois guitarristas registraram 12 faixas autorais de música instrumental. O trabalho foi lançado somente em formato digital, clique aqui para ouvir. Além de músico, Chenta é diretor do site informacaomusical.com, que tem muitas entrevistas muito interessantes com grandes nomes da nossa música. Confira a entrevista com Chenta contando um pouco sobre sua carreira e o disco Novos Caminhos.

Qual é a sua formação musical?
Rodrigo Chenta – Fui autodidata durante os quatro anos e meio iniciais. Após esta fase, estudei quatro anos na antiga ULM (Universidade Livre de Música), atual EMESP, com o grande Olmir Stocker mais conhecido como “Alemão”, onde basicamente estudava composição, harmonia e improvisação de forma bastante intuitiva.

Posteriormente me formei na FASCS (Fundação das Artes de São Caetano do Sul) no curso de “Formação Musical” com orientação de Marcelo Gomes e Marcelo Francisco José. Emendei no curso de “Técnico em Música” com orientação de Marcelo Francisco José na mesma instituição. Estes dois últimos cursos foram com habilitação em guitarra.

Paralelamente a isso participei de várias edições dos festivais em Ourinhos e São Caetano do Sul onde tive o privilégio de absorver os ensinamentos de ilustres como Paulo Tiné, Djalma Lima, Antônio Carlos Neves Pinto, Lupa Santiago, Frank Hezberg, Ogair Júnior, José Eduardo Nazário e Rycardo Lobo.

Realizei uma fusão entre música e TI ao concluir o bacharelado em “Sistemas de Informação”. Na academia, participei como aluno especial dos programas de pós-graduação na USP-FFLCH com Cacá Machado e na UNESP-IA com Dorotea Machado Kerr, Marisa Trench de Oliveira Fonterrada e Alberto T. Ikeda.

Quais são suas principais influências musicais?
Rodrigo Chenta – Em minha adolescência, ouvia basicamente bandas de rock como Cannibal Corpse, Napalm Death, Schaliach, RDP, Slayer, Kreator, Sepultura e Metallica antigos, Iron Maiden, etc. No entanto, o meu interesse sempre foi o musical, pois algumas bandas tinham letras que me desagradavam bastante. Atualmente, com o advento da internet, escuto muito mais metal extremo que antigamente.

Em relação à música instrumental, ouvia guitarristas como Joe Satriani, Steve Vai e Greg Howe. Quando passei a estudar na ULM e na FASCS, tive contato com músicos que me influenciaram bastante como Mike Ster, Scott Henderson, Hermeto Pascoal, Pat Metheny, John Scofield, Tom Jobim, John Coltrane, Allan Holdsworth e George Benson. Nenhum dos artistas citados anteriormente deixaram de me influenciar.

A cada dia que passa e ao conhecer coisas novas vou me influenciando por aquilo que me identifico bastante. Artistas que me agradam e de certa forma me influenciam no presente são Ole Borud, Snarky Puppy e Dirty Loops.

Eu escuto muita música que se enquadra em gêneros díspares. A cada momento eu exploro coisas novas e tenho o hábito de escutar discografias completas e analisá-las. Tenho influências distintas para cada tipo de música. 

Como surgiu o duo com o Ivan Barasnevicius?
Rodrigo Chenta – Eu sempre gostei de tocar com a formação de Duo e tanto eu como ele, nunca conseguimos encontrar a pessoa correta para desenvolver este tipo de trabalho ao ponto de gravá-lo. Certo fim de tarde, o Ivan me fez o convite e me disse tudo o que pensava sobre este tipo de projeto e pediu para que eu refletisse sobre a ideia e posteriormente conversaríamos novamente sobre o assunto. Juntou a fome com a vontade de comer. Começamos ensaiar semanalmente na Escola de Música Venegas Music e aos poucos foram surgindo diversos problemas quanto a formação de duo com instrumentos iguais. Duas guitarras acústicas sendo executadas juntamente proporcionam alguns desafios.

Desenvolvemos algumas formas de arranjo para solucionar os entraves que iam surgindo aos poucos. De um momento em diante não haviam mais problemas e a coisa passou a fluir de uma forma bastante natural e musical.

Sempre separamos um tempo do ensaio para discutirmos sobre o que acontece quando tocamos e de vez em quando gravamos os ensaios para avaliar como estamos. Testamos e exploramos muita coisa até que após um ano de ensaio e estudos decidimos registrar o resultado deste trabalho em um CD com 12 faixas.

Como foi a gravação do CD?
Rodrigo Chenta – O CD foi gravado no estudo e com o grande André Ferraz que fez um trabalho maravilhoso. Como ele também toca guitarra, entende de muita coisa deste universo e pode contribuir efetivamente com o resultado final do trabalho. Foram usados somente microfones condensadores e cada músico ficou em uma sala separada.

A guitarra do Ivan Barasnevicius consta de basicamente 90% de som do amplificador (valvulado e transistor), e o restante da sonoridade dividida em som de linha e um microfone na frente da guitarra para pegar os ruídos de palheta. Já a minha guitarra é o contrário. Consta de mais ou menos 90% de som de microfones (3 ao todo, posicionados na frente da guitarra e usando a técnica de Midi Side) e o restante da sonoridade vinda do som de linha e do amplificador (semi-valvulado e transistor).

Para os não acostumados com esta sonoridade, podem pensar que temos a união de uma guitarra acústica com um violão com corda de aço, o que de fato não é. O que eu queria e consegui era ter o som puro da minha guitarra acústica, ouvir as mínimas características do som do instrumento e ter como o André falava: – um som de lata. Devido a isso é possível ouvir diversos ruídos naturais e que contribuíram para o resultado final do timbre deste trabalho. Uma característica de ter gravado com o som natural de uma guitarra acústica é que neste CD é possível ouvir a minha respiração em alguns solos.

A maioria das músicas que entraram no trabalho final são o primeiro take de gravação, porém algumas resolvemos gravar novamente e gostamos tanto do resultado que colocamos um take alternativo da música “Inocência” de minha autoria e “Tema para Pietra” do Ivan Barasnevicius que entraram como outras versões no CD sendo as faixas 11 e 12 respectivamente.

As composições do CD são todas suas? As músicas foram compostas para este duo?Rodrigo Chenta – As composições deste álbum são divididas entre o duo. Cinco músicas são minhas e as outras cinco do Ivan.

As músicas se dividem em composições antigas que foram arranjadas especificamente para esta formação instrumental e algumas que foram compostas pensando na formação de duo de guitarras como “Novos Caminhos” e “Mulher Brava” que são minhas e “Tema para Pietra” do Ivan.

No caso da música “Contrastes”, é uma improvisação musical. Consta de uma criação espontânea minha no momento da gravação e que explora a liberdade quanto ao ritmo, andamento, tonalidade, textura e técnicas estendidas.

Como foi a criação do portal informacaomusical.com?
Rodrigo Chenta – O portal informacaomusical.com foi criado por mim em 2010. Está na sua 3ª versão e passou por muitas mudanças ao longo destes anos. Eu fiz toda a codificação e programação do site e tive uma grande ajuda de Carlos Dontal em relação a navegabilidade e design do site.

No início, houve um desejo inocente de abraçar o mundo e por isso, muita coisa deu errado. Existiam colaboradores que aos poucos foram um a um desistindo até que resolvi assumir tudo sozinho. Após um verdadeiro planejamento decidi que o portal abordaria somente as estações de entrevistas e recomendações de livros, CD’s e DVDs voltados para a música de alto padrão sem haver a necessidade de uma periodicidade quanto à produção de material para o mesmo. Como acabei ficando sozinho nestas tarefas, o conteúdo é atualizado conforme o tempo e a disponibilidade.

O site tem muitos acessos diários e recebo vários e-mails com elogios e críticas construtivas sobre o portal. Muitos músicos importantes foram entrevistados como Hermeto Pascoal, Olmir Stocker (Alemão), Heraldo do Monte e etc.

Quais são seus projetos para 2015?
Rodrigo Chenta – Estou compondo bastante e isso já reflete no Duo, pois já estamos com o repertório do próximo CD basicamente pronto. Uma grande diferença é que as composições foram criadas pensando especificamente para esta formação instrumental de duas guitarras acústicas.

Sobre o portal informacaomusical.com, farei algumas inovações para a melhoria da plataforma e materiais publicados.

Gostou? não esqueça de curtir, compartilhar ou deixar um comentário. Queremos ouvir você. 

SHARE
Previous articleTECLADO DE CORES
Next articleLA BOHÈME